Vivemos numa época em que é rápido e fácil o acesso à informação sobre alimentação saudável. Temos disponíveis receitas para todos os gostos. Contudo, sofremos de falta de tempo. Ao viver com este sentimento de contrarrelógio é habitual não conseguirmos pôr em prática aquelas alterações que gostaríamos ou necessitávamos de fazer na nossa alimentação.

Adiamos mudanças na dieta alimentar, ficamos frustrados, mas nada fazemos, com isso mistura-se a ansiedade por resultados no bem-estar geral, no peso, nos valores de glicémia ou colesterol e, por vezes, com o acréscimo de sentimento de culpa por sabermos o que fazer mas não o colocarmos em prática.

A solução para estas questões pode estar simplesmente na organização e na
simplicidade, traçando objetivos realistas.

Suponhamos que já teve uma consulta de nutrição ou tem orientações alimentares que gostaria de pôr em prática.

Por onde começar?

PASSO 1 – Escolha um dia

Reserve um momento da semana para se dedicar às mudanças que quer implementar na sua alimentação.

PASSO 2 – Reúna informação

Reúna toda a informação que tem consigo (plano alimentar ou orientações dietéticas, receitas…) e escolha 1 a 2 aspetos que queira alterar (ex: modos de confeção, alimentos ou horários…), incluir ou excluir na sua dieta alimentar.

PASSO 3 – Planeie a semana.

Utilize uma aplicação simples, uma folha de rascunho ou um caderno, onde possa visitar as suas ideias futuramente. Planifique, faça um menu semanal e reflita onde pode incluir essas alterações. Por exemplo, se necessita de ingerir mais vegetais como as crucíferas (couves, nabos, etc.) pode: estipular para 2ªfeira uma sopa de brócolos; para 4ª feira um puré de couve-flor; para sábado uma couve cozida. Pode começar por planear apenas jantares ou as sopas da semana e a pouco e pouco evoluir para as outras refeições do dia.

PASSO 4 – Identifique os ingredientes que tem em casa

Identifique o que tem no frigorífico, na despensa e no congelador e faça uma lista de compras. Este exercício pode dar-lhe ideias para as refeições que está a planear, podendo utilizar aquele ingrediente que está há muito tempo esquecido no fundo da prateleira e evitar a compra de alimentos que já tenha em casa.

PASSO 5 – Prepare alguns frescos imediatamente após a compra.

Lave bem e reserve alguns vegetais crus em recipiente adequado de forma a estarem prontos a usar. Pode escaldar ligeiramente alguns legumes, como os espinafres, e congelar em porções destinadas a um salteado, arroz ou omeleta. Faça uma sopa, congele uma porção e deixe outras disponíveis para os dias seguintes.

PASSO 6 – Otimizar, refletir e criar rotina.

Otimize tempo e antecipe passos para próximas refeições: aproveite o calor do forno/fogão para cozinhar alguns alimentos para o menu da semana; utilize a água de cozedura dos legumes para preparar caldos para outras refeições; demolhe leguminosas ou cereais integrais.

Ao longo destes passos está a cuidar de si, reflita sobre isso. Felicite-se, encoraje-se e sinta-se grato(a) por estar a contribuir para o bem da sua saúde. Tente fazer disso rotina. Não desmoralize, a organização requer treino, o importante é começar. Experimente e avalie como a sua alimentação melhora de semana para semana. Já agora, porque não fazer tudo isto num ambiente calmo ao som de uma boa música ou
em boa companhia.

Se necessitar de apoio, para iniciar este processo de mudança alimentar, não hesite, contacte-nos.

Laura Holgado
(Nutricionista – 0901N)